Nem tudo que é resíduo sólido se desmancha no ar

Por Alexandre Fleming

O conceito de “lixo” pode ser considerado e aplicado de diferentes maneiras em contextos variados e com perspectivas diversas. Inegavelmente o lixo é uma invenção humana, pois em uma situação plenamente natural não há produção de lixo. São inúmeras as substâncias produzidas pelos seres vivos e que são totalmente descartáveis, inúteis ou prejudiciais para a saúde humana. Mas o que chamamos de lixo pode ir muito além dos resíduos sólidos.

Em 1989, o diretor Jorge Furtado, lançou o premiado documentário Ilha das Flores. O título inusitado desenvolve-se tendo o lixo como centro da trama. Com uma linguagem direta e narrativa didática, o documentário, mesmo sem grandes recursos técnicos, caiu nas graças de historiadores, filósofos, sociólogos e demais educadores em todo o país.

A repetição de duas informações características dos seres humanos é um importante contraponto dentro do roteiro: polegar opositor e telencéfalo altamente desenvolvido. As inúmeras comparações de situações históricas distintas colocam em dúvida o papel de ambos na construção de um ser verdadeiramente humanizado.

A questão envolvendo uma suposta máfia do lixo me fez recordar do documentário. Em Maceió, investigação do Ministério Público apontou inúmeras irregularidades em licitações que comprometem o prefeito da capital.

Na Câmara Municipal de Maceió o debate serviu a tudo menos ao propósito esperado pela população. A Câmara, eximindo-se de seu papel fiscalizador ignorou solenemente os indícios apontados pelo MP, mesmo depois de ter acesso a centenas de páginas do processo.

Alguns vereadores, inegavelmente, souberam usar muito bem seus respectivos telencéfalos (altamente desenvolvidos), afinal: são seres humanos e vereadores.

Em que pese à omissão, o fato importante é que o Tribunal de Justiça acatou a denúncia do Ministério Público, logo, o prefeito responderá pelos seus atos.

O triste – dessa história toda do lixo – infelizmente, foi o papel de certo polegar “opositor”. Em Maceió, o conceito de lixo atingiu em cheio o campo do debate moral, atingindo diretamente alguns dos nossos edis.

De acordo com o roteiro do documentário, Ilha das Flores, “o polegar opositor permite aos seres humanos o movimento de pinça dos dedos o que, por sua vez, permite a manipulação de precisão”. Tenho dito!

Twitter: @fleming_al

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s